domingo, 17 de abril de 2011

Flor do sertão





Collage by Weedlace
Nem a água que cai 
Pra molhar a plantação,
Nem a chuva nem o trovão,
Nem o sol da segunda estação,
Pode abafar a voz
De uma mulher sertaneja.


Dos filhos que o ventre alimentou,
Só Deus sabe a dor que calou,
Como a terra que o fruto deu
E por falta d´água não vingou,
Só Deus sabe o que passou
A mulher sertaneja.


Nem o caboclo mais valente
Sabe domar uma flor do sertão.
Ela é moça bonita,
É donzela arisca,
De flor no cabelo e santo na mão.

Só ela faz da poesia uma prosa benfazeja,
Mas só Deus sabe dos segredos 
Que carrega no coração
Uma mulher sertaneja.


É ela a mais bela,
A flor de profunda beleza.
É o instinto em forma humana,
É a flor do sertão,
É a mulher sertaneja.


Quem sabe das minhas origens, compreende que não é só o mar a temática maior das minhas poesias, mas as mulheres e o sertão também. Espero ter feito uma boa poesia para saudar a nova semana. Boa semana a todos!



5 comentários:

Maria Gabriela disse...

linda poesia escafandrista... lindo mesmo!

Fernanda disse...

A mulher sertaneja é a força que rega aquele chão e faz brotar a esperança onde ninguém botou fé.

Lindo poema!

valeria soares disse...

Lindo!

Liza Leal disse...

Q maravilha!
Tenho orgulho de ser filha de sertanejos nordestinos
=)

bjo
ótima semana!

†† Ð'ART †† disse...

Belíssima poesia, âncora que se visualisa do Escafandro no sertão do vasto mar!

Dum retoque a sutil nuance de um toque, feminino e belo.


Cordialmente


Giordano Bruno de LaMarques.