sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

É preciso poesia

Imagem da web

Para esquecer um pouco de tudo,
Para descobrir um novo mundo,
Reaprender a sonhar.

É preciso verso na vida,
Ver a poesia escondida
Num eclipse lunar.

É preciso um grão de fé
Compreender, crer e confiar.
É preciso dar-se conta do que se é,
Levantar, lutar e cantar.

Cantar aos céus
A alegria de viver,
Cantar a beleza que se quer.
É preciso poesia na vida
Senão a vida não dá pé.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Sobre Hilda Hilst

Uma matéria incrível sobre a Hilda no Almanaque Brasil

É apaixonante.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

"Quem sabe essa falta que você me faz
E a dor que isso traz
Me ensinem a crescer.
Quem sabe tudo se transforme em paz
E a alegria retorne ao meu viver".

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Às margens de mim

Poesia a F. T. G.


Sobra uma parte de mim em qualquer canto
em que me esqueço, no abraço em que me perco,
Sobra um pedaço meu que desconheço, um pedaço mais teu que meu.
Há um pedaço que você levou
Quando partiu de mim,
Um pedaço que eu queria resgatar
Uma parte de mim 
Está contigo em qualquer lugar.
Ah, se eu pudesse te reconhecer dentre outros tantos mil
E te prender, e te reter
E reaver
Um pedaço mais que meu,
Um pedaço teu
Do meu coração que se foi daqui.
Vivo em busca do eu
que ficou às margens de mim.

domingo, 30 de setembro de 2012

Deixa eu cantar meu samba

Imagem da Web


Deixa eu chorar meu samba,
Que meu samba cura a dor.

Hoje eu vou sair por aí,
Se alguém me vir,
Pode esquecer

Não fale que me viu por aí,
Se me vir, 
Passar bem.

Hoje eu vou chorar minha dor,
Deixa que meu samba cura,
Nessa vida, que anda tão dura,
Tudo tem seu tempo e valor.

Deixa eu chorar,
Deixa eu sair por aí,
Que meu samba toma conta de mim.

E quem sabe cantando meu samba
Eu espanto esse mal,
Quem sabe meu samba triste
Se transforma em carnaval.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Acalanto

Open Art

Ah se eu pudesse agora te acalantar,
Colocar-te em meu peito.
Sentirias todo meu amor
Ao meu jeito,
À minha forma de te acalmar.

Ah se eu pudesse agora te colocar entre meu braços
E te sugerir baixinho ao ouvido para me abraçar
Para que eu possa então te aquecer
Sentirias todo o meu calor
Ao meu jeito,
À minha forma de amar,
Para não mais me esquecer.




domingo, 9 de setembro de 2012

Amor de terra, amor de mar

Artesanato com areias coloridas - Ceará


Era amor pra muitas vidas,
Viviam de brisa e de mar,
Cresceram entre as areias coloridas 
Das praias do Ceará.

Nasciam de suas mãos
Riquezas e paisagens,
Tiravam dali o sustento,
Viviam de suas artes.

Guardaram dinheiro sob o colchão,
Assim construíram pequenas casas
E com as cores retiradas do chão
Construíram também as próprias asas.

domingo, 2 de setembro de 2012

A alegria faz-se presente
Em cada parte da casa.
Poesia surge em cada ambiente,
Como perfume que d´alma exala.

Alegria de vivir

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Devir

Calar.
E em meio à toda estranheza do mundo,
Sentir.
E na noite de lua cheia ou minguante,
Admirar.
E na solidão do tempo,
Fluir.
E no passar das horas,
Passar.
E no vão das palavras soltas,
Consentir.
E nas fantasias humanas, 
Adentrar.
E nas divagações dos versos meus,
Vir a ser eu,
Eterno devir.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Equilibrando emoções

Imagem da web

Nem sempre se ganha.
Então a gente segue na vida
Um pé na frente do outro,
A gente lambe a ferida
E finge que tudo passou.
E finge que não doeu tanto assim.
A gente aguenta o "não"
Até achar o "sim".
E vive equilibrando emoções
Na corda bamba das paixões
Que insistem em atormentar.
A gente joga de novo
Coração palhaço de circo
No meio do picadeiro
Para ser vaiado ou aplaudido
Inteiro ou partido
E cada um segue a vida,
Ganhando ou perdendo,
Sabendo que cada um
É quem sabe de si,
A gente aguenta o "não"
Até achar o "sim".

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Estrellas en ti

Veo estrellas en tus ojos
Weheartit
Cuando adentras mi alma
Y con una palabra
Traes alegria

Y cuando llegas así tan despacio
Recuerdo que mi corazon
Es tu espacio, la casa tuya.

No te demoras, amor
Que te quiero así
Cerca de mí.

sábado, 14 de julho de 2012

Novo-estranho Eu

Andei cansada de tanto barulho na minha cabeça. Meu coração batia apertado, o tempo parecia não passar. Mas como tudo passa, passou. Estou aqui novamente, em busca do novo, em busca da poesia, mergulhando e trazendo o que encontrei no fundo do mar...


A garganta arranha,
Estranho esta casa
Que não se habita.

Nessa poesia insana,
Há tanta gente estranha,
Nessa vida que não é minha.

Retorno ao mar
Como quem à casa torna.
Às poesias que emergem da alma
É alma que aos poucos volta.

A vida que era minha
Parece que se partiu
Ou se perdeu.

Essa casa nova
Em que habito
Parece um novo-estranho eu.

A minha meditação de hoje...

''Fique em silêncio, cultive o seu próprio poder interno. 

Respeite a vida de tudo o que existe no mundo.

Não force, manipule ou controle o próximo.

Converta-se no seu próprio Mestre e deixe os demais 



Serem o que têm a capacidade de ser."

Texto Taoista

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Poesia



E em cada pequeno espaço em branco de nossas almas também.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Meditação Vipassana


Depois de cada batalha diária, sento-me e procuro emudecer a mente. 
E a frase de Caeiro expressa bem o que sinto.
Bjs a todos.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Os meus dragões


Após tantas batalhas, estou aprendendo a domar os meus dragões. É difícil encará-los de frente, são tão maiores e mais selvagens do que eu. Aos poucos estou aprendendo a respeitar-lhes e conhecê-los, cada um. Aprendendo a chamá-los pelo nome e identificar-lhes as características mais fortes. Alguns dos meus dragões causam-me medo, outros causam-me angústia, outros ainda nem consigo encarar, tampouco nomear. Sigo de cabeça erguida em cada batalha, encarando aqueles que posso, às vezes escondendo-me daqueles que ainda não sabem quem sou. Sigo caindo e levantando, enxugando o suor do rosto e enfrentando os meus dragões diariamente à espera do dia em que eles compreendam quem os alimenta e aceitem-me como sua senhora.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A poesia não é deste mundo





Shhhh... Não fales demais. As palavras cansam-se. Não escrevas também. Deixe que o que tiver de ser dito pronuncie-se, revele-se à aurora dos teus versos. Escrever é antes de tudo um ato soberbo, uma ousadia. Não ouses escrever à revelia das palavras. Talvez elas não queiram ser ditas agora. Respeito ao lirismo é essencial, meu caro. Fazer poesia não pode, nunca, ser automático. As poesias possuem vida própria, acordam-se cedo, espreguiçam-se faceiras em suas camas de nuvens, etéreas como elas só. E levantam-se! Ah, o despertar de uma poesia... é doce ver uma poesia levantar-se, surgir suave no meio da prosa insana que às vezes é esta vida. E se um dia achares que perdeste o lirismo nos teus dias, não afoba-te em buscá-lo, desesperado, nas coisas mundanas. A poesia não é deste mundo. Poesia é revelação de anjos, um bálsamo para o coração.


segunda-feira, 4 de junho de 2012

Não se afobe não, que nada é pra já.

Essa música chama-se Futuros Amantes, do Chico Buarque. É a música subtítulo deste blog, o nome do blog também foi retirado da música. No dia 26 de maio, sábado, teve show do Chico aqui em Fortaleza. Ainda tenho que postar isso no blog do chico . Aí vão as fotos pra vocês. Só pra compartilhar.




Bons mergulhos a todos os escafandristas.

domingo, 13 de maio de 2012

Espaços vazios

Imagem da web

Dias de frio
Espaços vazios
Sem versos
Para me acordar de manhã.

Sem beijos na testa
Cai a chuva na janela
Molhando o chão do quarto
O rosto já farto
Do cansaço dessa solidão.

Sobram horas no relógio,
Sobram saudades no peito,
Faltam palavras
Ou um jeito de dizer
"Te amo".

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Sobra tanta falta...


Postei um vídeo, porque faltam palavras quando sobram sentimentos a inundar-me a alma.
A Escafandrista.

sábado, 21 de abril de 2012

Poesia à Fortaleza

"Eis a minha vida,
Nesta terra banhada pelo sol.
Eis a minha essência,
Indo e vindo entre uma onda e um atol".




Em homenagem a Fortaleza, que completou seus 286 anos.


sábado, 7 de abril de 2012

Nada mais

Se me chamas,
Sorte minha,
Retorno em passo trôpego
E suplicante
Aos braços teus,
Amado, amante.


Se me chamas "tua"
Tua eu serei.
Nada mais das coisas que vivi,
Não mais minha como sempre pensei.


E se me queres nua
Na cama tua estarei,
Não mais certa de quem sou,
Nada mais daquilo que sei.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Hilda Hilst, Zeca Baleiro e Zélia Duncan

Porque tu sabes que é de poesia minha vida secreta...

terça-feira, 27 de março de 2012

Om Shanti Om





"Equilíbrio é a habilidade de olhar para a vida a partir de uma perspectiva clara - fazer a coisa certa no momento certo.


Uma pessoa equilibrada será capaz de apreciar a beleza e o significado de cada situação seja ela adversa ou favorável.

Equilíbrio é a habilidade de aprender com a situação e de prosseguir com sentimentos positivos. É estar sempre alerta, ser totalmente focado, e ter uma visão ampla.


Equilíbrio vem do entendimento, humildade e tolerância. 

O mais elevado estado de equilíbrio é voar livre de tudo e, ainda assim, manter-se firmemente enraizado na realidade do mundo."


(Brahma Kumaris)



quarta-feira, 21 de março de 2012

Sim

Amanheceu no meu coração.
Amanheceu e uma luz se acendeu,
Não era o sol,
Era eu, pedindo em oração
Para que o tempo passasse,
a chuva parasse,
E eu pudesse aprender
a dizer mais "sim" do que "não".

Águas Belas - Cascavel, Ceará.

É isso o que acontece quando você diz "sim".
Imagem do blog: 

sábado, 10 de março de 2012

Liberdade

The Bird

Deixo ir,
E o sol nascerá amanhã.
As minhas janelas estarão abertas
À claridade da manhã.
O coração estará aberto
Às oportunidades que virão.
Deixo ir,
Dou asas aos pássaros
Que alimento, mas que não são meus.
E a chuva cairá novamente,
Os dias passarão,
Deixo ir,
Porque somente os anéis vão.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Olhar dos cegos

Zindy
Olho para dentro e vejo o caos.
Olho para fora e vejo-te.
Olho mais uma vez para mim mesma
E vejo o fogo que queima o peito e o corpo.
Olho para ti, para ver-me
E vejo o teu corpo que me acolhe e não me nutre.
Vejo a boca vermelha,
Os olhos fundos,
As mãos que tocam a fantasia que criei.
Olho, olho e não vejo nada.
Dizem que o pior é aquele que não quer ver
E eu vejo sem querer.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Vida mediana

Oro todos os dias para que meu olhar poético não se perca no meio das tribulações, não se desfaça diante das ondas, não naufrague feito sabe Deus o quê. Oro para não precisar levar uma vida mediana, rodeada de pessoas medíocres, felizes e satisfeitas com suas novas aquisições eletrônicas, suas bebidas e círculos sociais. Oro todos os dias para não esquecer de quem sou, de quem fui e de quem quero ser um dia. Para não esquecer de onde vim e onde quero estar.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Sem avisar

Vem sem aviso,
Faz tudo de improviso
E eu corro o risco de não resistir.

Faz do meu pranto um sorriso,
Me confunde os sentidos,
Fico sem saber aonde ir.

Entra na minha vida,
Me causa espanto,
Está aqui, em todo canto.

Atravessa meu céu feito raio,
Diz que me ama
E eu não saio daqui.

É o olhar mais sincero,
O abraço mais seguro,
É um pouco de tudo,
É o que eu quero pra mim.

Chega sem avisar,
Me cobre de beijos,
E eu não me vejo sem você aqui.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Cálidos

Para o meu Fá


Voraz tentação minha, torna-te doce figura em meus sonhos. Amo-te naturalmente, como direito meu. Desejo-te como necessidade de vida, da vida que espero e quero do despertar ao anoitecer. Desejo-te como um pássaro deseja voar. Desejo-te como um abrir de asas, como um refletir de águas, desejo-te. Espero o passar das horas para encontrar-te e, então fundir-nos... cálidos, quentes, em frenesi. 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Sabedoria

Um ancião índio certa vez descreveu seus conflitos internos da seguinte maneira:
- Dentro de mim há dois cachorros. Um deles é cruel e mau. O outro é muito bom e eles estão sempre brigando.

Quando lhe perguntaram qual cachorro ganhava a briga, o ancião parou, refletiu e respondeu:
- Aquele que eu alimento mais frequentemente.


Obs.: Respondendo aos comentários da postagem anterior. Bjs.

sábado, 21 de janeiro de 2012