domingo, 30 de setembro de 2012

Deixa eu cantar meu samba

Imagem da Web


Deixa eu chorar meu samba,
Que meu samba cura a dor.

Hoje eu vou sair por aí,
Se alguém me vir,
Pode esquecer

Não fale que me viu por aí,
Se me vir, 
Passar bem.

Hoje eu vou chorar minha dor,
Deixa que meu samba cura,
Nessa vida, que anda tão dura,
Tudo tem seu tempo e valor.

Deixa eu chorar,
Deixa eu sair por aí,
Que meu samba toma conta de mim.

E quem sabe cantando meu samba
Eu espanto esse mal,
Quem sabe meu samba triste
Se transforma em carnaval.

9 comentários:

Liza Leal disse...

Um samba é sempre um bom remédio.
Me fez lembrar do gde Cartola!

bjo menina escaf!
=)

A Escafandrista disse...

Muita gentileza sua, Liza!


Ps.: Recado aos blogueiros amigos, não tenho conseguido comentar nos blogs de vocês, acredito que por alguma configuração do meu blogger, mas continuo visitando-os.

O Profeta disse...

De folhas de Outono se coroa uma tonta
Lancei pedras sobre as ondas furiosas
Teimosamente arde neste peito uma raiva
E vi muito lixo num covil de raposas

As coisas que um poeta vê
As coisas que que invadem uma alma demente
Num silencio contaminador, estonteante
Ouvi palavras de amargo presente

Cheguei finalmente a uma certa praia
Fiquei encoberto por uma mancha de gaivotas
Na impressionante fachada da minha alma
Fecham-se com estrondo todas as portas


Doce beijo

Marcelo R. Rezende disse...

A nossa tristeza sempre se transforma em alegria e conhecimento.

Lindo poema, guria *-*

Fred Caju disse...

Hoje o samba saiu...

A Escafandrista disse...

Lá lá láiá, Procurando você... rsrsrs
Amo!

Leo disse...

Então eu pego o meu pandeiro e deixo você cantar...e a dor não terá nenhum domínio.

Amarísio Araújo disse...

E como bem disse o Poetinha:"...mas pra fazer um samba com beleza,é preciso um bocado de tristeza,senão não se faz um samba,não..."

Um samba triste já tá de bom tamanho,moça...a vida são todos os sentimentos.

Bom domingo pra você.
Beijos.

O Profeta disse...

Se o mar adormecer em desvario
As ondas não mais se formarem
Se as gaivotas se perderem do ninho
As árvores mais altas tombarem

Se o dia não encontrar a manhã
As nuvens deixarem de chorar água pura
Se as pedras da ilha roubarem a cor ao verde
As tuas palavras deixarem de ser raiva dura


Boa semana


Doce beijo