quinta-feira, 21 de junho de 2012

Os meus dragões


Após tantas batalhas, estou aprendendo a domar os meus dragões. É difícil encará-los de frente, são tão maiores e mais selvagens do que eu. Aos poucos estou aprendendo a respeitar-lhes e conhecê-los, cada um. Aprendendo a chamá-los pelo nome e identificar-lhes as características mais fortes. Alguns dos meus dragões causam-me medo, outros causam-me angústia, outros ainda nem consigo encarar, tampouco nomear. Sigo de cabeça erguida em cada batalha, encarando aqueles que posso, às vezes escondendo-me daqueles que ainda não sabem quem sou. Sigo caindo e levantando, enxugando o suor do rosto e enfrentando os meus dragões diariamente à espera do dia em que eles compreendam quem os alimenta e aceitem-me como sua senhora.

8 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

Somos donos, responsáveis, é lindo seu texto.

Anônimo disse...

Teu texto trouxe-me antigas reflexões. Parece que esses "dragões" estão mesmo dentro de nós mesmos. Cabe a nós identificá-los e domá-los, como você disse. Lembrou-me algo que Krishna diz no Bhagavad Gita, algo mais ou menos assim: dominar a nós mesmos é mais difícil que subjugar o vento. Mas vale a pena demais da conta, né? Lindo texto, Escafandrista!

Cristiano Guerra disse...

Minha querida moça do escafandro,
faz um longo tempo que não me atrevo a seus cantos. Primeiro, venho te agradecer, és a única que ainda me visita. Mas não venho só por isso, você bem sabe. É sempre a sua gentileza, moça, que primeiro me toca. E em seguida, sua doçura. Mesmo domando dragões ainda és doce. Não há como você não convencer todos eles. Sempre fui bom de brigas e sei que resumem a dois tipos. As que a gente sangra e as que a gente ganha pelo simples fatos de havemos de triunfar. Enquanto você mantém essa gentileza e essa doçura, você triunfa; e todos os dragões que a oprimem findarão por seguir-te todos de cabeça baixa.

Um braço muito apertado.

RosaMaria disse...

Acho que estamos em sintonia Rafa, tantas mudanças, tantas dores, algumas perdas e outros ganhos, eu com a mania feliz ou infeliz de ver um lado bom em tudo, vejo tudo como aprendizado. Somos fortes, tenho certeza disso. Um beijo grande, se cuida!

Amarísio Araújo disse...

Bela e doce menina escafandrista,

Muito rofunda e sensível a sua reflexão,com a medida certa na força e na suavidade das palavras.

Aí está o nosso Destino,talvez na sua melhor utilidade,a nos ensinar uma coragem fatal.
E sobre cair e levantar,fico com as palavras de um grande pensador americano,Raph W. Emerson: "Se há o supremo poder no golpe,há igualmente o supremo poder na reação".

Bom vir aqui e me perder nesses seus versos sentidos.

Bom final de semana.
Beijos!

Fred Caju disse...

Eis o caminho.

O Profeta disse...

Vem escutar a música da noite
Vem sentir a vida num piscar de olhos…

Boa semana

Mágico beijo

Guilherme disse...

Os dragões-de-nós se amedrontam no espelho da Alma...