quarta-feira, 8 de setembro de 2010

"Eu te amo"

Aos 16 anos você acha que "eu te amo" é uma expressão sagrada, que só pode ser dita verdadeiramente, com todo o sentimento, para aquela que será a pessoa da sua vida. Logo depois de algumas decepções você descobre que as pessoas dizem "eu te amo" de forma displicente e leviana. Depois de um tempo você descobre que "eu te amo" é bom de se ouvir, mas que se beleza não se põe à mesa, também não se serve "eu te amo" no café da manhã. E você precisa de mais do que isso. Uma hora você descobre que "eu te amo" não é "abracadabra", não conserta corações partidos, não traz de volta o tempo perdido, "eu te amo" não recebe o que não deu. "Eu te amo" algumas vezes é mais interrogação que afirmação, é mais desejo que ação, é mais dúvida do que qualquer "talvez, não sei". De repente, você pode pensar que aquela pessoa que seria a pessoa com quem você deveria estar para sempre pode estar por ai, em qualquer lugar, lendo uma revista, comprando o pão ou pode estar trocando alianças, tendo filhos e comemorando aniversário de casamento com alguém que não é você. Ou não. Bom, passa de tudo pela cabeça, mas esta não é a melhor coisa a se pensar. A verdade é que a pessoa certa também pode ser esta ao seu lado agora, essa que levanta cedo pra fazer o café, que almoça pensando em você e se preocupa com o que você comeu quando você diz que está com dor de cabeça. Pode ser que o amor verdadeiro seja esse alguém que passa o dia ocupado, mas que volta pra você ao fim do dia para vocês jantarem juntos e verem tevê. E de repente você descobre que "eu te amo" é mais simples do que qualquer teorema, às vezes você nem precisa se preocupar com isso. Às vezes "eu te amo" é algo tão simples que você nem precisa dizer. Pelo menos não com estas palavras.

5 comentários:

Leandro Luz disse...

Esse texto me lembrou de uma música do Legião que dizia assim: "E hoje em dia, como é que se diz eu te amo?".

Você se supera a cada frase!
;P

Beijo.

Paulo Francisco disse...

A frase: ¨Ëu te amo¨ è dita de maneira leviana por todos. Somos permissivos ao dizê-la a qualquer momento sem pensar no peso que ela tem. A frase me lembou o filme com o mesmo nome. Gostei de ter lido o seu texto, ele me fez lembrar como é sincero e forte quando digo para o meu filho: Eu te amo!

Kaiser Soze disse...

As palavras têm o significado que as pessoas lhes dão. É preciso é encontrar quem não use o amo-te (ou te amo) como saudação.

lilly disse...

Apesar de não ter mais 16 eu ainda tou na fase de achar o eu te amo uma expressão sagrada pelo menos pra mim, que gosto de dizer o que sinto e só digo eu te amo independetemente pra quem seja quando realmente eu sinto, mas é uma expressão que realmente ta cada vez mais banalizada isso é meio ruim eu não gosto muito de quem fala muito eu te amo sei lá porque mesmo que a gente goste de alguém a gente não tem necessidade de falar isso a todo momento acho que soa falso...
bjos.

Flor com Espinhos disse...

Li várias vezes, Rafa...emocionada...é isso que acontece, dos 16 até depois, até depois qdo descobrimos que realmente é tão simples, tão simples...