domingo, 26 de setembro de 2010

Budapeste II

"A verdadeira poesia desaba por dentro... como o amor".

Kriska, Budapeste de Chico Buarque.

Ninguém acertou, gente! ain, ain...

2 comentários:

Franck disse...

Eu ando desabando como o amor...ou poesia?
Uma boa semana! Bj*

Marcio Nicolau disse...

Ah, sim! Elementar, minha cara! rs