sábado, 11 de setembro de 2010

Dubito, ergo sum



Mais uma tarde estranha neste apartamento
Em que as coisas me falam que ainda haverá um momento
Em que todas as coisas dirão que já é hora de partir
E ai de mim que espero sozinho e aflito
E leio as marcas deixadas em mim
E os sinais que eu mesmo deixei gravados em todos os lugares
Para que algum escafandrista possa lê-los
Quando eu já não mais estiver aqui...


3 comentários:

Leandro Luz disse...

É sempre bom duvidar...
Se sentir vivo.
E continuar duvidando pra sempre, mantendo-se, assim, mais vivo do que nunca!

;*

Marcello disse...

Bom da vida é deixar rastros que serão lidos por outras pessoas, outros escafandristas, outros doentes de amor...

Bom ler seus comentários lá no meu blog, estava com saudade....

Beijos moça.

Flor com Espinhos disse...

O desejo de mudança já é um movimento, e qual o movimento que não é satisfatório não é?...Gostei.