sábado, 29 de janeiro de 2011

Sertão



Simbora, amô,
Que lá no sertão tudo é mió.
Bota teu vestido de frô,
E vamo vivê de amô,
Que lá no sertão inté a lua é maió.
E se nóis cansá,
Nós inventa o que fazê,
E se carece, nóis inventa até
ôtro jeito de amá,
de amá inté o sol nascê.

6 comentários:

Thiago Quintella de Mattos disse...

Místico Sertão!!! ô coisa nossa!!!

CARLA STOPA disse...

Lindo!!!Fiquei encantada...

Cris disse...

Bunitim demais sô!!!rs

A Escafandrista disse...

haha
gostei, cris!!
bjooo

ORANCI MORAIS disse...

Quis versins mais dus bunitim....
KKKKKKKKKK!!! Amei a poesia amiga!
Um abracim procê!

ZENN BELL disse...

Por favor entre em contato comigo urgente. Assunto, ilustração postada.
E-mail: zenn.bell@gmail.com