sexta-feira, 6 de maio de 2011

Tesouros


Em pálida poesia branca desfaço-me. Atravesso janeiros e janeiros, avessa ao calendário que não reconhece os meus dias. Meu tempo é outro que não aquele das puras almas que, cândidas, passam por esta vida, tão impotentes. Meu olhar deslumbra-se nas infinitas possibilidades de um campo aberto às palavras, das quais elas são soberanas. Não, eu não creio somente em versos. Eu não creio somente em palavras, mas em cada ato que mostre a essência humanal dos poetas aflitos, dos poetas famintos, que anseiam pela boa poesia. Minha boca tem fome, minha pele tem fome. Rebela-se no peito o coração flamejante com o furor de todos os tempos, com o brado dos guerreiros de todas as eras, em forma de escudo no peito errante, no seio meu. Fica marcado no corpo, na pele, o fogo, as minhas digitais. Deixo-te os meus versos em forma de tesouros, de navio perdido, naufragado, à espera de ser resgatado por um escafandrista qualquer.

amurderous



7 comentários:

RosaMaria disse...

Palavras não ditas
Sentimentos escritos

Beijos
Bom findi!

Van disse...

Tudo aqui é um tesouro , minha amiga ! E tuas palavras são as mais belas pérolas já produzidas , os sons mais profundos que ecoam pelos mares do amor. Navego e mergulho aqui intensamente sempre.

Saudades e grande beijo !

www.vidainversoepoesia.blogspot.com

CARLA STOPA disse...

És tesouro que cala e fala...És o obscuro-escuro-claro enigma daqueles que querem viver perdidamente poesia...Beijoca, lindona.

CARLA STOPA disse...

Amiga, meu tempo tem fugido de mim...Nem sei onde...Mas isso aqui me faz falta. Amo estar com vcs...Beijoca de novo e bom final de semana.

ACONTECE disse...

Adorei...
Suas palavras são belas e simples, como tudo que tem beleza desmedida...
Bjos

Thales disse...

"Eu não creio somente em palavras, mas em cada ato que mostre a essência humanal dos poetas aflitos, dos poetas famintos, que anseiam pela boa poesia". PERFEITO!!! Melancólico, intenso, vívido; diz coisas estagnadas na fala de muita gente, mas que aqui encontrou liberdade. Massa.

Flor com Espinhos disse...

eu fiquei pensando sobre o que será a 'boa poesia'...