sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Poema pra dizer adeus

Quisera descansar meus olhos,
Descansar o peito e a boca
Da vertigem que causam as ondas
Enquanto o mar é só ânsia.

De volta ao cais eu reconheço o teu rosto
Como o cão que reconhece o dono
E logo arqueio meu corpo em tua direção
E não te beijo.

Faço então o retorno ingrato
Daquilo tudo que poderia ter sido
E perdeu-se nas margens dos rios
Das minhas poesias profundas e tolas.

Eu despeço-me de ti sem largar as malas,
Dando as boas vindas à nova vida
Que chega revestida de amor e vaidade pouca
Com os olhos brilhando e pérolas nos cabelos.

7 comentários:

CARLA STOPA disse...

Fechando círculos...

Cristina Lira disse...

Lindo poema...com sentimento que invade a cada estrofe em que se depara a alma que le..

Bjos no coração....bom fim de semana.

Van disse...

Lindo texto , é sempre preciso deixar ir quando o amor não tem volta , quando o amor nos remete ao que éramos antes , quando o amor fica presente na saudade... Saudades daqui e de você , flor ! Grande Beijo !

www.vidainversoepoesia.blogspot.com

Carol disse...

Que lindo!

Aiai... agora é pensar no que vai ser!

Thiago Quintella de Mattos disse...

Aumentam-se as experiências!! Bom ler aqui de volta.

ϟ Cynthia Brito disse...

vê-se o brilho somente ao ler suas palavras!

Lindo!

boa semana! beijos...

Marcelo R. Rezende disse...

Que relicário, queria eu poder dizer adeus assim, com tanta beleza, com tanta certeza e competência.


Beijo.