segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A nossa Dança

Eu penso em algo como uma dança e você conduz,
Redescobre algo que é inato,
Poesia em ato,
Pelo simples fato

De gerar no prato ótimas combinações.
Combinamos então.
Açúcar, sal
Prova cabal: Eu danço quando você conduz.

Passo diferente, mas complementar,
De um suave despertar. Luz e sombra, cor da noite, cor do dia
Cor de sobra, a cor da nossa história,
pra refazer outra dança

refletindo a nossa sombra


(eu não consigo... interrupções)...


interrupções de luz,
deixe-se levar,
seja conduzida,

deixar-me levar por quem conduz...
suave
leve
num breve cintilar
nos passos
na cor
no sabor
da nossa dança,
que já revela outro odor,
perfumado,
como as manhãs na seda
em que você me conceda outra condução.



(...)

Parceria com Milton Baseggio Lehmkuhl

6 comentários:

Franck disse...

Que as danças, as cores, o doce, o salgado e o agridoce, sejam intensos nesse dia...
Bjs*

Saozita disse...

E a dança é sempre um ritual, o ponto de encontro de duas almas que fundem numa só! Lindo poema.

Tenha uma bela semana.

Bjs

Sãozita

Poemas e Amizades disse...

Que doce e melódico poema; e que bela parceria. Uma verdadeira dança, condução invertida, é verdade, e tão bela que se fez surpreendente. A sugestão mais óbvia é a repetição da parceria, talvez agora em vôos, ou singrar de águas azuis, ou caminhada... Vai se saber. Quando a sintonia existe, tudo é possível, e basta crer.
Um abraço carinhoso
Lello

Angela Reis (Luna Luz) disse...

O título do teu blog chamou-me atenção para olhar. Quando li o perfil gostei mais ainda. Adentrei, vi tudo, amei e fiquei =)

bjos no seu coração =*


P.s. E olha só os caracteres exibido para a verificação de palavras: "Fases" - coincidência? duas luas se encontram rs

Gonçalo disse...

Há convite para ti no meu blogue. Aparece e atreve-te!

Beijinhos***

:)

Liza Leal disse...

Olá!
Tbm gostei mto do jogo da dança.
Lindo!

bj
.
LiZZa