quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Cátedra

Cruzou as minhas ruas,
Queimou os meus semáforos,
Perdeu-se entre tantos ais.
Adormeceu entre meus braços exaustos,
Concedeu-se de várias formas,
Quadrilátero, claustro,
Entre sinais, sinos, naves e catedrais.

Há poesias que eu adoraria comentar, mas tavez isso reduzisse os seus significados. Prefiro que digam o que veio à mente. Boa noite a todos os que por aqui mergulharem.

8 comentários:

Thiago Quintella de Mattos disse...

"Perdeu-se entre tantos ais." Ai, como nos perdemos nessa... dói!

Everton Augusto disse...

E precisa explicar?
Quando se tenta explicar passa a ser outra coisa que não poesia.
Passo seguido por aqui.
Abraço.

Kaiser Soze disse...

...com suor, como toda a volúpia deve ser.

Leandro Luz disse...

Como já dizia Tom Zé:

"Eu tô te explicando
Prá te confundir
Eu tô te confundindo
Prá te esclarecer"

Eu até gosto das explicações dos autores sobre suas obras, mas admito que elas só servem pra limitar a própria obra e confundir nossas cabeças!

;*

Nini C . disse...

Muito lindo.

Franck disse...

Acho que nessa vc se superou...Um amor assim, ou uma noite assim, quem não quereria?
Bjs*

Leandro Luz disse...

Bom, o que eu sei é que a zona sul, assim como o centro do rio está super tranquilo. O problema mesmo está na zona norte, onde tá o "foco" do problema.

Vai ficar quanto tempo aqui?
Partiu Lapa?
\o/

Beijos.

Flor com Espinhos disse...

q momento viveu....viveram...depois pode até doer, mas a lembrança desse momento sublime compensa.