sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Esperança

O vento desfaz
Aquilo que com muito tempo se constrói
E te faz esquecer que há mais na vida
Do que se possa saber.
Do que se sabe é vivido,
Mais que isso,
Há o que se aprender.
O vento desfaz
Tudo o que a gente traz no coração,
O vento espalha as nossas palavras ,
São tantos versos pelo chão.
É bonita a história com final feliz,
Mas tem quem diz que a vida é só ilusão.

Eu te peço, amor
Que não feche as portas,
Que por trás de cada ato
Cada fato é prova de fé
E há que se ter esperança
Porque sem isso a gente é só criança
Nada mais daquilo o que já se é.

Poesia inspirada por C*, boa noite a todos.
 
 "A esperança é uma droga alucinógena".
Rubem Alves

7 comentários:

Franck disse...

E a esperança, o inseto? Pra ela tbém devemos fechar portas?
Bjs*

Flor de Lótus disse...

Oi,Escafandrista!Td bem?Passando para conhecer seu blog.Lindo poema!A esperança é o que nos move o que nos faz viver, é o que nos faz crer num amanhã melhor...Sem esperança não vale a pena viver...
Beijos

Pérola Anjos disse...

E brotam esperanças verdinhas, porque esperanças não criam rugas...

Beijos!

Sil.. disse...

Lindoooooo texto.

A esperança é algo que sempre nos move, nos joga pra frente, impulsiona pra vida.
Sem ela, dificilmente sobreviveriamos.

Um abraço grande pra ti!

Carol Timm disse...

Oi Menina,

Também tinha saudades tuas.

E por falar em esperança, a gente precisa guardá-la um pouco, por em alguns momentos precisamos dela para continuar.

Beijos,
Carol

Flor de Lótus disse...

Obrigada pela visita!E volte sempre!
Beijos bom feriado!

Poemas e Amizades disse...

Não custa ter uma esperança com que enfrentar o vento e o tempo. Pois, na verdade, não são bem eles a serem enfrentados, mas primeiramente nós mesmos. O que é duradouro, o que o vento não leva, é o que tem raiz, é o que é sólido, é o que tem peso. Dizem: tudo é só ilusão. Mas ilusões são superficialidades arrastadas pelo vento. Pergunte ao vento se ele tem a chave do coração!
Um beijo carinhoso
Lello