domingo, 31 de julho de 2011

Cavalos & Cegos

Andei por aí catando sonhos. Andei perdido em meio a tantos devaneios tolos, infantis. Andei por aí sem saber do tempo, entregue ao vento, como folha que cai. Andei sem rumo, perdi o prumo, perdi o bonde, perdi a hora. É que a oportunidade é cavalo com sela, pronto de rédeas, a passar diante dos nossos olhos... dos nossos olhos cegos. Andei meio solto no mundo, meio sem palavras para descrever o que sinto. E o que sinto é cavalo selvagem, sem sela e sem rédeas, a passar diante dos olhos dos cegos.



A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio. (Martin Luther King Jr.) 

6 comentários:

Paulo Francisco disse...

Cavalo selvagem sem sem sela e sem rédeas... Esta frase é qualquer coisa. adorei este texto. Forte e absoluto.
Um beijo grande

Glauciran Cavalcante disse...

Menina você é boa nisso, viu!!! Que lindo!

Abraços

CARLA STOPA disse...

Eu me encontro aqui...Em ser cavalo, sem sela e sem rédea...Amei, amiga...

RosaMaria disse...

O que eu vejo:

Uma moça que é muito boa em soprar versos perfeitos...

Adoro!

Beijão

A Escafandrista disse...

Uau, arrepiei com os comentários de vocês! Obrigada!

Fanzine Episódio Cultural disse...

Que desenhos, filmes,séries de TV que você gostaria que fossem publicados nas edições do Fanzine Episódio Cultural?

Você pode (se quiser) enviar um pequeno texto dando sua opinião a respeito.
Envie sua sugestão para: machadocultural@gmail.com