terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Das minhas sensações

E esta sensação que abala agora o peito,
como manhã que renasce após a noite fria,
será esta sensação algo que anuncia o que está por vir?
Em homenagem às sensações que nos preenchem,
cito a doce Cecília.


Motivo, de Cecília Meireles


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada

2 comentários:

Paulo Francisco disse...

Bom!!!!!!!!!! e citar Cecília Meireles ficou fantástico.
Um beijo!

valeria soares disse...

Adoro este poema. Sempre o declamo para meus alunos.

Excelente texto e citação! Abraços.